Stakeholders, ecotourism and sustainable development: The case of Bonito, Mato Grosso do Sul state, Brasil

Autores

  • Guilherme Garcia Velasquez Universidade Federal de Mato Grosso do Sul- Campus de Bonito-MS
  • Caroline Pauletto Spanhol
  • Eugênio Ávila Pedroso
  • Elton Gean Araújo

Palavras-chave:

Stakeholder; Turismo Sustentável; Bonito-MS; Ecoturismo; Desenvolvimento Sustenável

Resumo

O Desenvolvimento Sustentável, o ecoturismo e a participação dos stakeholders são os temas discutidos na pesquisa, que tem como objetivo caracterizar o ecoturismo no município de Bonito/MS e identificar a participação dos principais stakeholders. Para tanto, foram realizadas entrevistas com oito stakeholders no município, em que se destacam: colaboradores, comunidade, consumidores, reguladores, investidores, poder público (Secretaria de Turismo, Indústria e Comércio e o Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) e o Conselho Municipal de Turismo. Os dados foram analisados a partir da técnica de análise de conteúdo. O framework utilizado para a condução do estudo foi o da eco-estratégia empresarial sugerido por Stead e Stead (2000). Os resultados indicaram que a participação dos stakeholders no turismo em Bonito/MS caminha em direção a sustentabilidade, sobretudo pelos valores divulgados, o emprego da tecnologia e as práticas dos stakeholders verdes.

Referências

Almeida, N. P. (2010). Atuação dos Operadores de Turismo no Processo de Turistificação de Bonito-MS. Tese de Doutorado. Universidade Estadual Paulista. Rio Claro, SP, Brasil.

Bardin, L. (1977). Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Lei n. 1048 de 23 de março de 2005. (2005). Reorganiza o conselho e fundo municipal de turismo e dá outras providências. Bonito, MS. Retrieved from http://www.portalpublicobonitom s.com.br/arqvos/leis/Lei%201048.doc.

Lei n. 8.623 de 28 de janeiro de 1993. Dispõe sobre a profissão do guia e dá outras providências. Brasil. Retrieved from http://www.planalto.gov.br /ccivil_03/Leis/L8623.htm.

Carroll, A. & Buchholtz, A. (2003). Business and society: ethics and stakeholder management, 5a ed.. Mason, OH: Thomson South-Western.

Carranco, M. F. O. (2010). Visão ética complexa na estratégia sustentável de turismo comunitário em uma comunidade indígena andina. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Clulow, V. (2005). Futures dilemmas for marketers: can stakeholder analysis add value? European Journal of Marketing. 39, 978-997.

Fassin, Y. (2009). The stakeholder model refined. Journal of Business Ethics, 84, 113-135.

Frata, A. M. (2007). Ciclo de vida do destino turístico do município de Bonito MS. Dissertação Mestrado. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Campo Grande: MS.

Freeman, R. E. (1984). Strategic management: a stakeholder approach. Boston: Pitman.

Gupta, A. (1995). A stakeholder analysis approach for interorganizational systems. Industrial Management & Data Systems, 95(6), 3-7.

Instituto Brasileiro de Geografia de geografia e Estatística. (2012). Retrived from http://www.ibge.gov.br/ cidadesat/topwindow.htm?1.

Instituto Brasileiro de Geografia de geografia e Estatística. (2012). Economia do turismo: uma perspectiva macroeconômica 2003-2007, 2010. Retrieved from http://www.ibge.gov. br/home/estatistica/economia/industria/economia_tur_20032007/publ_comp_ecotur.pdf.

Instituto das Águas da Serra da Bodoquena-IASP. (2012). Retrieved from: http://www.iasb.org.br.

Lobo, H. A. S. & Cunha, F. M. (2009). Perfil dos turistas e percepção de impactos ambientais na gruta do Lago Azul, Bonito-MS. Revista Hospitalidade, VI(1), 34-49.

Lobo, H. A. S. & Moretti, E. C. (2008). Ecoturismo: as práticas da natureza e a natureza das práticas em Bonito, MS. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 2 (1), 43-71.

Lobo, H. A. S. (2006). Conservação da natureza e produção do ecoturismo em Bonito-MS. Dialogando no Turismo, 1 (2), 1-12.

Mitchell, R. K., Agle, B. R. & Wood, D. J. (1997). Toward a theory of stakeholder identification and salience: defining the principle of who and what really count. Academy of Management Review, 22 (4), 853-86.

Salgado, C. M. M. (2007). Uso da informação no desenvolvimento do território turístico de Bonito- MS. Dissertação de mestrado. Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, MS, Brasil.

Stead, J. G., & Stead, E. (2000). Eco-enterprise strategy: Standing for sustainability. Journal of Business Ethics, 24, 313-329.

Steurer, R. et al. (2005). Corporations, stakeholders and sustainable development: A theoretical exploration of business-society relations. Journal of Business Ethics, 61, 263-281.

Velasquez. G. G. (2010, Outubro). Um estudo piloto sobre perfil do turista visitante da Gruta do Lago Azul, Bonito-MS. Anais do 1° Congresso de Natureza, Turismo e Sustentabilidade, Bonito/MS.

Downloads

Publicado

2014-03-27

Como Citar

Velasquez, G. G., Spanhol, C. P., Pedroso , E. Ávila, & Araújo, E. G. (2014). Stakeholders, ecotourism and sustainable development: The case of Bonito, Mato Grosso do Sul state, Brasil. Tourism and Hospitality International Journal, 2(1). Obtido de http://thijournal.isce.pt/index.php/THIJ/article/view/114