A ENOGASTRONOMIA COMO PRODUTO TURÍSTICO: DINÂMICAS TERRITORIAIS NO VALE DOS VINHEDOS – RS/BRASIL

Autores

  • Roberto do Nascimento e Silva
  • Virginia Elisabeta Etges
  • Vander Valduga

Palavras-chave:

Enogastronomia. Identidade territorial. Turismo. Vale dos Vinhedos

Resumo

Em tempos cada vez mais acelerados, territórios produtivos tendem a se adaptar a novos modelos e padrões de consumo, ora incorporando inovações, ora reafirmando suas tradições. Nesse contexto, a enogastronomia busca equalizar uma reação regional através do oferecimento de produtos particulares frente aos processos de globalização. Nesse caso, compreende-se a enogastronomia como a união de segmentos de alimentos e bebidas sustentada por um tripé que compreende o produtor rural, as empresas (vinícolas e restaurantes) e o território, onde são desenvolvidos e aplicados conhecimentos teóricos, técnicos e práticos no oferecimento de produtos particulares e de qualidade aos consumidores finais. Assim como outros setores da economia, a enogastronomia também é influenciada pela relação dialética entre a dimensão global e a dimensão regional, não apenas na valorização e formação das identidades territoriais, mas também no desenvolvimento dos indivíduos atuantes no contexto regional. O presente trabalho analisa a enogastronomia do Vale dos Vinhedos, Estado do Rio Grande do Sul/Brasil, como produto turístico e leva em consideração suas dinâmicas territoriais. Observou-se a partir da pesquisa de campo que a região busca incorporar elementos que permitam seu movimento de inovação em produtos e processos, ao mesmo tempo em que está assentada em bases culturais étnicas identitárias muito sólidas. Verificou-se que a dinâmica enogastronômica e o turismo se retroalimentam num processo de fortalecimento endógeno e de suas cadeias produtivas, contribuindo para a manutenção dos valores sociais estabelecidos e permitindo a reprodução econômica local.

Referências

Albagli, S. (2004). Território e territorialidade. In: Lages, V., Braga, C., Morelli, G. (Orgs). Territórios em movimento: cultura e identidade como estratégia de inserção Competitiva. Brasília: Sebrae.

André, M. E. D. A. (2005). Estudo de Caso em Pesquisa e avaliação educacional. Brasília: Liber Livro Editora.

Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos -APROVALE. (2015). Recuperado de http://www.valedosvinhedos.com.br/vale/viewdestaque. php?view=363&cnid=1#null.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Brodhag, C. (2000). Agriculture Durable, Terroirs et Pratiques Alimentaires. Courrier de l'environnement de l'INRA, n. 40, 33-45.

Eco, H. (2002). Tratado geral de semiótica. São Paulo: Perspectiva.

Falcade, I., & Tonietto, J. (2010). Área Geográfica Delimitada da Denominação de Origem Vale dos Vinhedos. Bento Gonçalves, Embrapa Uva e Vinho.

Flores, M. (2007). Da solidariedade social ao individualismo: Um estudo sobre o desenvolvimento do Vale dos Vinhedos na Serra Gaúcha (Tese de Doutorado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Haesbaert, R. (1999). Identidades territoriais. In: Rosendahl, Z. & Corrêa, R. (Org.). Manifestações da cultura no espaço. Rio de Janeiro: EDUERJ.

Haesbaert, R. (2004). O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” à multiterritorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Heidrich, A. (2000). Além do latifúndio: geografia do interesse econômico gaúcho. Porto Alegre: UFRGS.

Harvey, D. (2005). A condição pós-moderna. São Paulo: Loyola.

Knafou, R. (2001). Turismo e território: por uma abordagem científica do turismo. In: Rodrigues, A. B. (Org). Turismo e geografia: reflexões teóricas e enfoques regionais. São Paulo: Hucitec.

Lagrange, L; & Trognon, L. (2000). Observatório Econômico de Produtos Alimentares. Departamento de Qualidade e Economia dos Alimentos, Clermont-Ferrand: ENITA Colecção Estudos n. 9.

Massey, D. B. (2008). Pelo espaço: por uma nova política da espacialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Moraes, A. C. R. & Costa, W. M. (1993). Geografia crítica: a valorização do espaço. São Paulo: Hucitec.

Silva, R. do N. (2015). A enogastronomia no processo de formação de identidade territorial do Vale dos Vinhedos/RS (Tese de Doutorado). Universidade de Santa Cruz do Sul, Santa Cruz, RS, Brasil.

Pecqueur, B. (2005). O desenvolvimento territorial: uma nova abordagem dos processos de desenvolvimento para as economias do sul. Raízes, Florianópolis, v. 24, n.1-2, 10-22.

Pecqueur, B. (2009). A guinada territorial da economia global. Política & Sociedade, Revista de Sociologia Política, v. 8, 14, 79-105.

Pertile, K. & Gastal, S. (2012). Enogastronomia e turismo no espaço rural: o Vale dos Vinhedos – RS. Anais.... Disponível em www.pasosonline.org/Publicados/pasosoedita/ pasosrep7.pdf

Raffestin, C. (1993). Por uma geografia do poder. São Paulo: Ática.

Rouvellac, E. (2013). Le terroir, essai d’une réflexion géographique à travers la viticulture. Geography. Universit´e de Limoges, v.2.

Salette, J. (1998). O Conceito de Terroir: Uma Ligação Lógica para o Estudo de Locais e Produtos. Atas da Academia Francesa de Agricultura, v.84, n.2, 3-17.

Santos, M. (2000). Por uma outra globalização do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record.

Soares, H. A. (2004). Vinho e hospitalidade no Vale dos Vinhedos (Dissertação de Mestrado). Universidade Anhembi Morumbi, São Paulo, SP, Brasil.

Souza, M. J. L. (2006). O território: sobre espaço e poder, autonomia e desenvolvimento. In: Castro, Iná E.; Gomes, Paulo César da C.; Corrêa, Roberto L. (Org). Geografia: conceitos e temas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, pp. 15 - 48.

Telles, D. H. Q., Valduga, V. (2015). O “espaço turístico” a partir da multiescalaridade territorial. Complexidade e sistematização conceitual. Anais Brasileiros de Estudos Turísticos, v. 5, n° 3, 8-16.

Triviños, A. N. S. (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas.

Tonini, H. (2008). Políticas públicas e turismo, enoturismo no Vale dos Vinhedos/RS. Pasos, revista de turismo y patrimônio Cultural, v6, n2, 213-229.

Tonietto, J. (2007). Afinal, o que é Terroir? Bon Vivant, Flores da Cunha, v. 8, n. 98, 08.

Turri, E. (2002). La conoscenza del territorio: metodologia per un'analisi storico-geografica. Venezia: Marsilio Editori.

Valduga, G. & Valduga, V. (2008). Região, Vinho e Identidade: Uma Visão Sobre o Vale dos Vinhedos. In: Encontro Estadual de Geografia, 28. Anais... Bento Gonçalves, 2008.

Valduga, V. (2011). Raízes do turismo no território do vinho: Bento Gonçalves e Garibaldi – 1870 a 1960 (RS/Brasil) (Tese de Doutorado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Wine Enthusiast Editors (2013). 10 Best Wine Travel Destinations 2013. Wine Enthusiast Magazine. Recuperado de http://www.winemag.com/Best-Of-Year-2012/10-Best-Wine-Travel-Destinations-2013/.

Downloads

Publicado

2014-09-27

Como Citar

Silva, R. do N. e, Etges, V. E., & Valduga, V. (2014). A ENOGASTRONOMIA COMO PRODUTO TURÍSTICO: DINÂMICAS TERRITORIAIS NO VALE DOS VINHEDOS – RS/BRASIL. Tourism and Hospitality International Journal, 6(2). Obtido de http://thijournal.isce.pt/index.php/THIJ/article/view/163