WATER AS AN ANSWER TO WELLNESS AND WELFARE - MORE THAN A LIFE STYLE

Autores

  • Ana Branca Soeiro de Carvalho
  • Álvaro Bonito

Palavras-chave:

turismo, turismo saúde / bem-estar, termalismo, impacto social.

Resumo

A saúde, os SPA’s, a hidroterapia, o turismo, o bem-estar e os interesses económicos
tornam-se componentes profundamente interligados, várias situações exigem novas
formas de reestruturação social e estilos de vida, mas também abrangem outros
ambientes e culturas capazes de proporcionar mais tempo e lazer. Mudanças
comportamentais e soluções de bem estar alternativas são apelativos. É nessas situações
que os fenômenos de Hidroterapia / SPA e turismo, vindos de tempos passados, com
toda a sua gama de atividades, alcançaram grande força, aparecendo também como uma
resposta às questões de bem-estar (Leandro, E. et al, 2014). Em 2014, cerca de metade
dos clientes que optaram por os utilizar, tinham idades entre 36 e 65 anos (25.300 / p) e
29% entre 16 e 35 anos (15.200 / p). Associado a novos dilemas, que afetam os
indivíduos das sociedades atuais, sempre em busca de bem-estar e quando as aspirações
humanas não têm fronteiras, as doenças assumem facetas que nem sempre são fáceis de
identificar (Carvalho et al.). A procura em Portugal tem vindo a crescer, assim como o
impacto deste tipo de desenvolvimento na cultura social, tendo uma grande importância.
Esta pesquisa tem como objetivo analisar como esse impacto exige novas formas de
reestruturação social e estilos de vida, mas também abranger outros ambientes e culturas
capazes de proporcionar acesso a mais tempo e lazer. Os dados foram obtidos dentro de
duas estâncias termais que pertencem à administração pública (câmara municipal),
como serviço público (Caldas de Aregos e S. Pedro do Sul) e também da profunda
revisão da literatura. Trata-se de uma ponte importante entre os métodos de investigação
quantitativa e qualitativa. Foi utilizada uma análise exploratória de dados. Uma análise
exploratória é usada para encontrar ideias para uma teoria, mas não para testar essa
teoria também. O Termalismo como forma de Bem-estar social alcançado em 2014-
2015, tinha uma representação de 56% (comparando com 13% em 2004). No entanto,
tende a crescer mais e mais. O bem-estar é a primeira razão para a lealdade dos clientes.
Com 51.900 clientes este segmento apresentou um avanço em relação ao ano de 2013,
8,3% (+4,0 mil). Comparado a 2013 com 41.500 clientes usuários (44%) a Hidroterapia
clássica diminuiu nos últimos anos (- 10,6% menos 4.900 clientes). A receita desses
dois segmentos de hidroterapia (clássica e previdenciária) atingiu 11,7 milhões de euros,
o que resultou em queda de 10,6%, equivalente a menos 1,4 milhão de euros, em 2013.
(Turismo de Portugal, 2015). Note-se que este tipo de turismo tem vindo a aumentar, e
também a demanda crescente, o que contribuiu para melhorar os resultados de entrada
para o sector do turismo. A nossa proposta foi alcançada e os dados fornecidos foram
importantes. O nível de experiência e operação foi satisfatório, e certamente este é um
tema muito importante que deve ser muito mais e melhor analisado. Descobrimos que
os SPA’s e a hidroterapia estão cada vez mais inseridos na sociedade portuguesa, em
todas as faixas etárias. No futuro precisamos analisar os resultados com mais clareza e
desenvolver mais pesquisas nesta importante área.

Referências

Alpoim, M. F. M. (2010) Análise à procura termal. Dissertação de Mestrado

Bakucz, M. e Flink, A. (sd) Competitiveness and potential in spas and health resorts in

some central european regions (Conclusions from on-going research in South

Transdanubia, Hungary).

Carvalho, A., Nogueira, F.; Leandro, E.(2014) “Da diversidade à interconexão:

termalismo, saúde e turismo de bem-estar” – Capítulo X do livro - Health and

Wellness Tourism, Emergence of a New Market Segment - Peris-Ortiz, Marta,

Alvarez-Garcia, Jose (Eds.) Springer ISBN 978-3-319-11489-7

Carvalho, A., Nogueira, F.; Leandro, E.(2014) “Networks in the Health and Welfare

Sector: a study beyond borders – Portugal/Spain.” - Capítulo III do livro - Health and

Wellness Tourism, Emergence of a New Market Segment Peris-Ortiz, Marta,

Alvarez-Garcia, Jose (Eds.) Springer ISBN 978-3-319-11489-7;

Chan, J. (2007) Broad definition and meaning of Health and Wellness Tourism in

Sabah, Malaysia, Discussion Paper for ATLAS Spa and Wellness Special Interest

Group.

Costa, C. (2013) O Turismo e a Água. CCDR-Centro.

Disponível em http://www.regionalstudies.org/uploads/Bakucz_and_Flink.pdf

Henriques, F. (1762)- AquilÈgio Medicinal, Lisboa Ocidental, off. da Musica 1726

Çelebi, T.(sd) Thermal Tourism in Turkey. Disponível em

http://espaehv.eu/media/66/File/Events/TURABI%20CELEBI%20%20Thermal%20

Turism%20in%20Turkey.pdf

EHTTA (sd), The European Route of Historical Thermal Towns, Disponível em

www.spatourisme.be/sites/default/files/download/341ehttabasdef_borchure_en_angl

ais.pdf Ministry of Culture and Tourism (MCT) (2007) Tourism Strategy of Turkey -

Disponível em http://www.kulturturizm.gov.tr/genel/text/eng/TST2023.pdf

Mangorrinha, J. (2000) O lugar das termas: património e desenvolvimento regional – as

estâncias termais da região oeste. Lisboa: Livros Horizonte.

Medeiros, C. L. e Cavaco, C. (Eds.) (2008) Turismode Saúde e Bem-Estar. Termas,

SPAS Termais e Talassoterapia, UniversidadeCatólica Portuguesa: Lisboa.

MEI (2013) PENT 2013 – 2015 – Plano Estratégico Nacional do Turismo, Revisão e

Objetivos 2013-2015. Lisboa: Ministério da Economia e do Emprego e Turismo de

Portugal.

Oliveira, A. N. (2001) Património Histórico-Cultural da Região de Lafões. Millenium -

Revista do Instituto Politécnico de Viseu. n.º 22. Abril, Disponível em

www.ipv.pt/millenium/Millenium22/22_4.htm

Plano Estratégico de Termalismo - Ourense Termal, Disponível em

http://termalismo.ourense.es/wp

content/uploads/gallery/groups/58/55/DOSSIEROURENSE-TERMAL_PT.pdf

Ramos, A. R. C. C. V. (2005) O termalismo em Portugal: dos fatores de obstrução à

revitalização pela dimensão turística. Tese de Doutoramento. Universidade de

Aveiro. (DEGEI-UA). Portugal.

Rebelo, H. (2012) Águas Termais em Portugal – Indicações terapêuticas e modos de

utilização. Apresentação na Sociedade de Geografia de Lisboa, 15 de novembro.

Lisboa

Smith, M. e Puczkó, L. (2014) Health Tourism and Hospitality: Spas, Wellness and

Medical Travel. New York: Routledge.

Smith, M. e Puczkó, L. (2009) Health and Wellness Tourism. Burlington: Elsevier.

THE GOVERNMENT OF THE REPUBLIC OF HUNGARY (GRH) (2007) The new

Hungary Development Plan. National Strategic Framework of Hungary2007– 2013,

Employment and Growth. Disponível em http://pik.elte.hu/file/_MFT_angol.pdf

Tavares, F. (1810) - Instruções e Cautelas práticas sobre a natureza, diferentes espécies,

virtudes em geral e uso legítimo das águas minerais com a notícia de aquelas que são

mais conhecidas em cada uma das províncias do Reyno de Portugal e o methodo de

preparar as aguas artificiaes. Coimbra 1810

Downloads

Publicado

2017-12-27

Como Citar

Carvalho, A. B. S. de, & Bonito, Álvaro. (2017). WATER AS AN ANSWER TO WELLNESS AND WELFARE - MORE THAN A LIFE STYLE. Tourism and Hospitality International Journal, 9(2). Obtido de http://thijournal.isce.pt/index.php/THIJ/article/view/204