_____

Autores

  • Ana Pereira
  • Cecília Fonseca
  • Paula Coutinho
  • Agostinho Cruz Cruz

Palavras-chave:

Água termal; Estância termal do Cró; Estância termal do Carvalhal; Dermatologia; Turismo de Saúde; Tratamento termal.

Resumo

O termalismo constitui um produto turístico altamente reconhecido pelo seu enorme
potencial de exploração dos recursos endógenos regionais com impactos económicos
notáveis para as comunidades locais. Nas últimas décadas, verificou-se uma mudança
importante no uso clínico de água termal para o tratamento de diversas doenças
dermatológicas, principalmente devido ao aumento de conhecimento e pesquisa, que
destacam os efeitos benéficos dessas águas para a manutenção, melhoria ou tratamento dos diferentes transtornos. O objetivo do presente estudo foi avaliar os benefícios dos tratamentos termais em diferentes doenças cutâneas percecionados pelos aquistas (N = 74) com doenças dermatológicas, das estâncias termais do Cró e do Carvalhal, da região centro de Portugal. A maioria dos participantes afirma ter conhecimento dos benefícios/propriedades terapêuticas dermatológicas das águas termais (78,4%), destacando o efeito cicatrizante, hidratante e antipruriginoso. Embora um pequeno número de participantes tenha referido alguns efeitos adversos (25,7%), o cansaço e a sonolência foram os mais reportados. O tratamento termal mais utilizado foi o banho de imersão (49,3%), o duche parcial/geral (17,8%), a piscina termal (15,8%) e o chuveiro circular (8,2%). A redução do eritema (27,8%), a descamação (25,6%) e o prurido (25,6%) foram as melhorias mais valorizadas pelos participantes. Concluiu-se que os aquistas afirmam ter conhecimento sobre a eficácia e segurança das águas termais no tratamento de patologias cutâneas. Nesse sentido, é vislumbrado que as modalidades do turismo de saúde, juntamente com a de bem-estar, resultarão num elevado impacto económico neste mercado turístico.

Referências

(DGEG), D. G. d. E. e. G. (2015). Estatisticas Águas - Distribuição de aquistas por

grupos etários em 2015.

Antunes, J. (2012). O (re) posicionamento do termalismo como estratégia de

desenvolvimento turístico. O caso da região Dão-Lafões (NUTS III). Revista

Turismo & Desenvolvimento, 3(17/18), 1469-1480.

Araujo, A., Sarraguça, M., Ribeiro, M., & Coutinho, P. (2016). Physicochemical

fingerprinting of thermal waters of Beira Interior region of Portugal. Environmental

geochemistry and health, 1-14.

Araujo, A. R., Paiva, T., Ribeiro, M. P., & Coutinho, P. (2015). Innovation in

Thermalism: An Example in Beira Interior Region of Portugal Health and Wellness

Tourism (pp. 165-180): Springer.

Chevutschi, A., Dengremont, B., Lensel, G., Pardessus, V., & Thevenon, A. (2007). La

balnéothérapie au sein de la littérature: Applications thérapeutiques. Kinesitherapie,

la revue, 7(71), 14-23.

Costa, C., Quintela, J., & Mendes, J. (2015). Health and wellness tourism: a strategic

plan for tourism and thermalism valorization of São Pedro do Sul (ss. 21-31). Marta

Peris-Ortiz ve José Álvarez-García. Health and Wellness Tourism Emergence of a

New Market Segment.

Faílde, R. M., & Mosqueira, L. M. (2006). Afecciones dermatológicas y cosmética

dermotermal. Técnicas y Tecnologías en Hidrología Médica e Hidroterapia, 175-

García, J. Á., del Río, M. d. l. C., González-Vázquez, E., & Lindahl, J. M. M. (2015).

Motivations for implementing a system of quality management in Spanish

thalassotherapy centers Health and wellness tourism (pp. 101-115): Springer.

García, J. Á., Del Río, M. d. l. C., Rama, J. A. F. B., & Alonso, M. V. (2014). Nivel de

implementación de la calidad en los balnearios españoles. PASOS. Revista de

Turismo y Patrimonio Cultural, 12(2), 259-280.

Ghersetich, I., Freedman, D., & Lotti, T. (2000). Balneology today. Journal of the

European Academy of Dermatology and Venereology, 14(5), 346-348.

Halevy, S., & Sukenik, S. (1998). Different modalities of spa therapy for skin diseases

at the Dead Sea area. Archives of dermatology, 134(11), 1416-1420.

Lopes, R. P. (2016). Motivações e Práticas dos aquistas das Termas de Unhais da Serra.

Lotti, T. M., & Ghersetich, I. (1996). Mineral waters: Instead of soap or better than

soap? Clinics in dermatology, 14(1), 101-104.

Matz, H., Orion, E., & Wolf, R. (2003). Balneotherapy in dermatology. Dermatologic

therapy, 16(2), 132-140.

Merial-Kieny, C., Mengual, X., Guerrero, D., & Sibaud, V. (2011). Clinical efficacy of

Avene hydrotherapy measured in a large cohort of more than 10,000 atopic or

psoriatic patients. Journal of the European Academy of Dermatology and

Venereology, 25(s1), 30-34.

Nunes, S., & Tamura, B. M. (2012). Revisão histórica das águas termais. Surgical &

Cosmetic Dermatology, 4(3), 252-258.

Panico, V., & Imperato, R. (2009). The psoriasis: a therapeutic alternative with

sulphureous water of Terme Capasso. Journal of Water & Wellness, 1(1), 39-50.

Portugal, T. d. (2015). Termas em Portugal 2014 - Caracterização da oferta e da

procura.

Tabolli, S., Calza, A., Di Pietro, C., Sampogna, F., & Abeni, D. (2009). Quality of Life

of Psoriasis Patients before and after Balneo-or Balneophototherapy. Yonsei medical

journal, 50(2), 215-221.

Torres, A., Bacaicoa, J., Horno, M., Galán, I., Failde, R., Hernansanz, A., &

GIMÉNEZ, J. (2006). Técnicas e tecnologias en hidrologia médica e hidroterapia.

Madrid: Agencia de Evaluación de Tecnologías Sanitarias, 15-43.

Downloads

Publicado

2017-12-27

Como Citar

Pereira, A., Fonseca, C., Coutinho, P., & Cruz, A. C. (2017). _____. Tourism and Hospitality International Journal, 9(2). Obtido de http://thijournal.isce.pt/index.php/THIJ/article/view/212