A PERCEÇÃO DOS CONSUMIDORES HOTELEIROS PORTUGUESES ACERCA DA ISO 9001 NO SETOR HOTELEIRO

Autores

  • Rita Sofia Pereira Correia

Palavras-chave:

ISO 9001, Certificação, Setor hoteleiro, Perceção dos consumidores

Resumo

Numa altura em que a qualidade dos serviços hoteleiros tem vindo a ganhar elevado interesse e peso na escolha do consumidor, algumas unidades hoteleiras têm recorrido à certificação pela norma de qualidade NP EN ISO 9001:2015. Uma vez que a literatura existente acerca desta norma no setor hoteleiro se foca no ponto de vista das organizações, nomeadamente nas vantagens, desvantagens, dificuldades, barreiras e motivações da implementação da norma e o impacto na organização ao nível financeiro e organizacional, esta investigação foca-se, em alternativa, no estudo desta norma do ponto de vista dos consumidores hoteleiros portugueses. Assim, este artigo tem como propósito a análise do conhecimento e importância da certificação de uma unidade hoteleira pela norma de qualidade ISO 9001 aquando a escolha de um hotel por parte dos consumidores hoteleiros portugueses. O estudo empírico permitiu concluir, através do preenchimento de um questionário com uma amostra de 398 inquiridos, que apesar de a qualidade ser um aspeto importante na tomada de decisão dos consumidores, a sua maioria não tem conhecimento da existência das normas ISO. Ainda assim, dos consumidores que conhecem estas normas, a maioria conhece a norma de qualidade ISO 9001, embora apenas uma pequena percentagem reconheça a sua presença no setor hoteleiro. Dos consumidores que, de facto, reconhecem a sua presença na hotelaria, a maioria não procura se a unidade hoteleira é certificada pela norma aquando a escolha do hotel.

Referências

Buttle, F. (1997). ISO 9000: Marketing motivations and benefits. International Journal of Quality & Reliability Management, 14(9), 936–947.

Christopher, M. (1986). Reaching the customer: Strategies for marketing and customer service. Journal of Marketing Management, 2(1), 63–71.

Comissão Nacional de Eleições. (2019). Recenseamento Eleitoral – Número de eleitores em 31 de dezembro de 2018. Disponível em: http://www.cne.pt/news/recenseamento-eleitoral-numero-de-eleitores-em-31-de-dezembro-de-2018_6394 [Consultado a 23 mai. 2019].

Fragoso, J. T. e Espinoza, I. L. (2017). Evaluación de la percepción de la calidad de los servicios bancarios mediante el modelo servperf. Contaduría y Administración, 62(4), 1270–1293.

Ghobadian, A., Speller, S. e Jones, M. (1994). Service quality. International Journal of Quality & Reliability Management, 11(9), 43–66.

Heras-Saizarbitoria, I., Arana, G. e Boiral, O. (2015). Do ISO 9001 – certified hotels get a higher customer rating than non–certified ones? International Journal of Hospitality Management, 51, 138–146. Instituto Português da Qualidade (IPQ). (2015). Norma Portuguesa: Sistemas de gestão da qualidade, fundamentos e vocabulário (ISO 9000:2015). Disponível em: http://www1.ipq.pt/PT/site/clientes/pages/documentViewer.aspx?ctx=&local=Internet&documentId=IPQINTER-380-158054&tipoSubscricao=1 [Consultado a 6 jan. 2019].

Lehtinen, U. e Lehtinen, J. R. (1991). Two approaches to service quality dimensions. The Service lndustries Journal, 11(3), 287–303.

Llopis, J. e Tarí, J. J. (2003). The importance of internal aspects in quality improvement. International Journal of Quality & Reliability Management, 20(3), 304–324.

Lopes, J. (2014). Gestão da qualidade: Decisão ou constrangimento estratégico. Dissertação de Mestrado em Estratégia Empresarial. Universidade Europeia, Lisboa.

Madeira, M. A. (1993). Gestão da qualidade: Conceitos, sistemas de gestão, instrumentos. Lisboa: Secretariado para a Modernização Administrativa.

Martínez-Costa, M. e Martínez-Lorente, A. R. (2003). Effects of ISO 9000 certification on firms' performance: A vision from the market. Total Quality Management & Business Excellence, 14(10), 1179–1191.

Morales, L. E. e Medina, E. V. (2015). Aplicación del modelo servperf en los centro de atención Telcel, Hermosillo: Una medición de la calidad en el servicio. Contaduría y Administración, 60(1), 229–260.

Murmura, F. e Bravi, L. (2018). Exploring customers’ perceptions about quality management systems: An empirical study in Italy. Total Quality Management & Business Excellence, 29(11/12), 1466–1481.

Parasuraman, A., Zeithaml, V. A. e Berry, L. L. (1985). A conceptual model of service quality and its implications for future research. Journal of Marketing, 49(4), 41–50.

Pinto, A. e Soares, I. (2010). Sistemas de gestão da qualidade: Guia para a sua implementação. Lisboa: Edições Sílabo.

Pires, A. R. (2012). Sistemas de gestão da qualidade – Ambiente, segurança, responsabilidade social, indústria, serviços, administração pública e educação. Lisboa: Edições Sílabo.

Poksinska, B. e Dahlgaard, J. J. (2003). ISO 9001:2000 – the emperor’s new clothes. European Quality, 10(23), 58–69.

Poksinska, B., Dahlgaard, J. J. e Antoni, M. (2002). The state of ISO 9000 certification: A study of swedish organizations. The TQM Magazine, 14(5), 297–306.

PORDATA (2019). População residente que viajou em turismo: Total e por grupo etário. Disponível em: https://www.pordata.pt/Europa/Popula%c3%a7%c3%a3o+residente+que+viajou+em+turismo+total+e+por+grupo+et%c3%a1rio-2449-201480 [Consultado a 23 mai. 2019].

Psomas, E. L. (2013). The effectiveness of the ISO 9001 quality management system in service companies. Total Quality Management, 24(7), 769–781.

Ramphal, R. e Nicolaides, A. (2014). Service and quality and quality service: Satisfying customers in the hospitality industry. African Journal of Hospitality, Tourism and Leisure, 3(2), 1–19.

Raosoft (2019). Sample size calculator. Disponível em: http://www.raosoft.com/samplesize.html [Consultado a 23 mai. 2019].

Sampaio, P (2008). Estudo do fenómeno ISO 9000: Origens, motivações, consequências e perspectivas. Tese de Doutoramento em Engenharia de Produção e Sistemas – Ramo do Conhecimento Investigação Operacional. Universidade do Minho, Braga.

Sampaio, P., Saraiva, P. e Rodrigues, A. G. (2009). ISO 9001 certification research: Questions, answers and approaches. International Journal of Quality & Reliability Management, 26(1), 38–58.

Santos, G., Costa, B. e Leal, A. (2014). Motivation and benefits of implementation and certification according ISO 9001 – the portuguese experience. International Journal of Engineering, Science and Technology, 6(54), 1–12.

Silva, D. (2011). A certificação segundo a norma ISO 9001 na perspetiva do cliente. Dissertação de Mestrado em Engenharia Industrial – Ramo Qualidade, Segurança e Manutenção. Universidade do Minho, Braga.

Sousa, A. (2006). Cultura organizacional e qualidade: Um estudo de caso sobre uma empresa do ramo hoteleiro. Dissertação de Mestrado em Sociologia Económica e das Organizações. Instituto Superior de Economia e Gestão, Lisboa.

Spencer, B. A. (1994). Models of organization and total quality management: A comparison and critical evaluation. Academy of Management Review, 19(3), 446–471.

Sureshchandar, G. S., Rajendran, C. e Anantharaman, R. N. (2001). A conceptual model for total quality management in service organizations. Total Quality Management, 12(3), 343–363.

Wu, S. e Chen, J. (2011). Comparison between manufacturing companies that are ISO certified and those that are not certified using performance measurement model. Total Quality Management & Business Excellence, 22(8), 869–890.

Downloads

Publicado

2020-03-27

Como Citar

Correia, R. S. P. (2020). A PERCEÇÃO DOS CONSUMIDORES HOTELEIROS PORTUGUESES ACERCA DA ISO 9001 NO SETOR HOTELEIRO. Tourism and Hospitality International Journal, 14(1). Obtido de http://thijournal.isce.pt/index.php/THIJ/article/view/250