O papel dos museus nos constructos da experiência global do destino - O caso do Museu da Cerâmica de Caldas da Rainha

Autores

  • Salete Maria Patrício Isidoro da Silva
  • Susana Luísa da Custódia Machado Mendes
  • António Sérgio Araújo de Almeida

Palavras-chave:

Museus, Imaginário, Integração, Experiência turística, Sistemas turísticos

Resumo

Enquanto atores, desejavelmente interventivos nos Sistemas Turísticos, os Museus, enfrentam desafios de integração dos seus visitantes no Destino em que se inserem. Estes processos de integração do visitante poderão limitar-se à temática específica que os museus sustentam ou progressivamente, sem perder a sua especificidade de vista, poderão contribuir para integrações mais alargadas facilitando assim uma desejada coesão sistémica do Destino. Em que medida é que os atores, designadamente os Museus, devem observar a Experiência Global do destino, condicionando as suas estratégias junto dos seus públicos, é uma questão que diz respeito à atividade turística no seu todo. O Museu da Cerâmica investigado sustenta e incrementa um Imaginário Coletivo do visitante assente numa nostalgia cultural que reafirma a cerâmica local como principal veículo da promoção cultural e patrimonial do destino Caldas da Rainha. O presente trabalho perspetiva a possibilidade do Imaginário, em determinados contextos, poder ser equacionado como uma espécie de preconceito cultural que inibe, ou no mínimo, não contribui para promover experiências culturais mais vastas. No sentido inverso, ganha importância acrescida a definição de estratégias a seguir pelos Museus para que as suas funções pedagógicas e emancipadoras sejam mais amplas e interventivas em função de interesses existentes e previamente assumidos pelo Destino.

Referências

Almeida, A.S.A (2014). A Animação turística e o processo de intensificação da experiência no destino - o papel dos fatores intensificadores da experiência turística. In Animação sociocultural, turismo património, cultura e desenvolvimento local. Intervenção - Associação para a promoção e divulgação Cultural – Chaves.

Anico, M. (2005). A pós-modernização da cultura: Património e museus na contemporaneidade. Horizontes Antropológicos, 11(23), 71-86.

Anico, M. (2008). Museus e pós-modernidade. Discursos e performances em contextos museológicos locais. Lisboa: Universidade Técnica de Lisboa, Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas.

Bagnall, G. (2003). Performance and performativity at heritage sites. Museum and Society, 1(2), 87-103.

Bal, M. (1996). The discourse of the museum. In R. Greenberg, B. Ferguson, & S. Nairne (eds.), Thinking about exhibitions. Londres e Nova Iorque: Routledge.

Barañano, A. (2004). Métodos e técnicas de investigação em gestão: Manual de apoio à realização de trabalho de investigação. Lisboa: Edições Sílabo.

Coelho, J. et al. (2012). Cinco contributos para a compreensão do turismo. Media XXI.

Flick, U. (2005). Métodos qualitativos na investigação científica. Lisboa: Monitor.

Gonçalves, A. (2012). A cultura material, a musealização e o turismo: A valorização da experiência turística nos museus, nacionais. Tese de Doutoramento. Universidade de Évora.

LEO (2009). Lapland centre of expertise for the experience industry, competitiveness through experiences. Retirado de http://www.leofinland.fi/ index.php?name=Content&nodeIDX=3615.

MacCannell, D. (1976). The tourist: A new theory of the leisure class. Nova Iorque: Schoken Books.

Moscardo, G. (1996). Mindful visitors: Heritage and tourism. Annals of Tourism Research, 23,(2), 376-397.

Netto, A. & Gaeta, C. (2010). Turismo de experiência. São Paulo: Senac.

Pereiro, X. (2009). Turismo cultural – Uma visão antropológica. Tenerife: ACA e Pasos– Revista de Turismo y Patrimonio Cultural.

Pine & Gilmore (1999). The experience economy: Work is a theatre and every business a stage. Boston: Harvard Business Scholl Press.

Roteiro, museu da cerâmica (2007). IPM, Museu da Cerâmica (2ª ed.).

Ryan, C. (2011). Ways of conceptualizing the tourist experience: a review of literature. In P. Stone & R. Sharpley, Tourism experience – Contemporary perspectives (1st ed.). Canada: Routledge.

Urry, J. (1990). The tourist gaze: Leisure and travel in contemporary societies. London: Sage.

Wang, N. (1999). Rethinking authenticity in tourism experience. Annals of Tourism Research, 26(2), 349-370.

Downloads

Publicado

2015-03-27

Como Citar

Silva, S. M. P. I. da, Mendes, S. L. da C. M., & Almeida, A. S. A. de. (2015). O papel dos museus nos constructos da experiência global do destino - O caso do Museu da Cerâmica de Caldas da Rainha. Tourism and Hospitality International Journal, 4(1). Obtido de https://thijournal.isce.pt/index.php/THIJ/article/view/133