EQUILÍBRIO FINANCEIRO: COMPARAÇÃO ENTRE QUATRO ESTABELECIMENTOS TERMAIS PORTUGUESES

Autores

  • Rute Almeida
  • Conceição Gomes
  • Anabela Elias-Almeida

Palavras-chave:

Termalismo, Turismo de saúde e bem-estar, Análise financeira, Rácios financeiros

Resumo

Desde antiguidade que o Homem conhece os poderes das águas termais numa relação em nada monótona. Na sua evolução, o mundo passou a incluir as duas vertentes do termalismo (clássico e de bem-estar) na esfera do turismo de saúde e bem-estar, que o Turismo de Portugal, IP considera, desde 2006, um produto estratégico para o país. Com este estudo pretende-se analisar o equilíbrio financeiro de quatro estabelecimentos termais portugueses, selecionados a partir dum conjunto de características comuns de modo a torná-los comparáveis. Recorrendo à técnica mais popular de análise financeira, o método dos rácios, procurou-se averiguar o equilíbrio financeiro dos quatro estabelecimentos termais portugueses estudados e responder à questão: estes estabelecimentos termais satisfazem as suas obrigações a curto prazo e os seus compromissos financeiros? Os dados de cada empresa foram obtidos da base de dados SABI e os dados do setor, código de atividade económica 86905 – atividades termais, foram obtidos no Banco de Portugal. Os dados foram tratados e analisados através do software Microsoft Excel. Concluiu-se que as quatro empresas estudadas têm características financeiras bastante diferentes e, duma forma geral, são as Termas de São Pedro do Sul que apresentam sempre valores aproximados aos da média do setor nos rácios analisados. Contudo, a maioria das empresas tem equilíbrio financeiro de curto prazo, fortemente condicionado pela conta de clientes, verificando-se uma forte dependência dos capitais alheios nas estruturas de financiamento

Referências

Banco de Portugal. (2020). Quadros do setor. Retirado de https://www.bportugal.pt/QS/qsweb/Dashboards, (acedido em 15/09/2020).

Bastos, C., Quintela, M. M., & de Matos, A. P. (2002). O novo aquilégio. Retirado de http://www.aguas.ics.ul.pt/index.htm.

Breia, A. F., Mata, M. N., & Pereira, V. M. (2014). Análise económica e financeira: aspetos teóricos e casos práticos. Lisboa: Letras e Conceitos, Lda.

Cantista, A. P. (2010). O termalismo em Portugal. Anales de Hidrología Médica 2008-2010, 3, 79-107.

Cavaco, C. (2008). Parte I – Turismo(s) de saúde e bem-estar. In C. L. Medeiros, & C. Cavaco (Eds.), Turismo de saúde e bem-estar: termas, spas termais e talassoterapia (pp. 22-128). Lisboa: CEPCEP – Centro de Estudos dos Povos e Culturas de Expressão Portuguesa, Universidade Católica Portuguesa.

Coutinho, C. P. (2011). Metodologia de investigação em ciências sociais e humanas: teoria e prática (2.ª ed.). Coimbra: Edições Almedina, S.A.

Cunha, J. (2013). A Análise Financeira como ferramenta de apoio à tomada de decisão. Estudo de Caso: Termalistur, E.E.M. - Termas de S. Pedro do Sul. Dissertação para a obtenção do grau de Mestre em Gestão de Unidades de Saúde, Universidade da Beira Interior, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Covilhã.

Cunha, L. (2003). Perspectivas e tendências do turismo. Lisboa: Edições Universitárias Lusófonas.

Fernandes, C., Peguinho, C., Vieira, E., & Neiva, J. (2019). Análise financeira: teoria e prática (5.ª ed.). Lisboa: Edições Sílabo, Lda.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa (4.ª ed.). São Paulo, Brasil: Editora Atlas, S.A.

Leite, J. (2011, fevereiro 4). Termas de Monfortinho [post em blog]. Obtido de https://restosdecoleccao.blogspot.com/2011/02/termas-de-monfortinho.html.

Lima Santos, L., Gomes, C., Malheiros, C. and Lucas, A. (2021). Impact Factors on Portuguese Hotels’ Liquidity. Journal of Risk and Financial Management, 14: 144. https:// doi.org/10.3390/jrfm14040144.

Liu, C., O’Farrell, G., Wei, K., & Yao, L. (2013). Ratio analysis comparability between Chinese and Japanese firms. Journal of Asia Business Studies, 7(2), 185-199.

Mangorrinha, J. (2000). O lugar das Termas: Património e desenvolvimento regional As Estâncias Termais da Região Oeste. Livros Horizonte.

Mangorrinha, J. (2002). À volta das Termas: Viagens no espaço e no tempo. Caldas da Rainha: Livraria Nova Galáxia.

Martins, A. (2004). Introdução à análise financeira de empresas (2.ª ed.). Porto: Grupo Editorial Vida Económica.

Mourão, M. B. (1997). A água termal e as termas: uma história milenar. São Paulo, Brasil: ABINAM - Associação Brasileira das Indústrias de Água Mineral.

Neves, J. C. (2007). Análise financeira: técnicas fundamentais. Lisboa: Texto Editores, Lda.

thijournal.isce.pt

THIJ – Tourism and Hospitality International Journal vol. 17 nº 1 ISSN: 2183-0800

Revista semestral gratuita de distribuição digital / Free biannual journal of digital distribution

E-mail: thijournal@isce.pt

Neves, J. C. (2012). Análise e relato financeiro: uma visão integrada de gestão (6.ª ed.). Alfragide: Texto Editores, Lda.

Pinto, H. G., Mangorrinha, J., & Serén, M. C. (2003). Álbum das Termas na colecção do Centro Português de Fotografia. Lisboa: Assírio & Alvim.

Queirós, M., Mota, C., Silva, E. S., Pereira, A., & Resende, M. (2020). Análise financeira de empresas. Porto: Quântica Editora - Conteúdos Especializados, Lda.

Quintela, M. M. (2008). Curar e recrear em termas portuguesas. In Termas de Portugal (pp. 9-22). Lisboa: Pixelprint – Edições, Imagem e Comunicação, Lda.

Ramos, A. R. C. C. V. (2005). O termalismo em Portugal: dos factores de obstrução à revitalização pela dimensão turística. Tese de Doutoramento. Aveiro, Portugal: Universidade de Aveiro.

Saias, L., Carvalho, R., & Amaral, M. C. (2006). Instrumentos fundamentais de gestão financeira (5.ª ed.). Lisboa: Universidade Católica Editora, Unipessoal, Lda.

Samo, A., & Murad, H. (2019). Impact of liquidity and financial leverage on firm’s profitability – an empirical analysis of the textile industry of Pakistan. Research Journal of Textile and Apparel, 23(4), 291-305.

Teixeira, S. C. (2013). O termalismo clássico na atualidade: o caso das Termas de Vizela. Dissertação de Mestrado em Lazer, Património e Desenvolvimento, Universidade de Coimbra, Faculdade de Letras, Coimbra.

Van Dijk, Bureau. (2020). SABI, Información Financiera de Empresas Españolas y Portuguesas. Available online: https://www.bvdinfo. com/en-gb/our-products/data/national/sabi#secondaryMenuAnchor1 (acedido em 12/10/2020).

Ventura, M. M. (2007). O estudo de caso como modalidade de pesquisa. Rev SOCERJ, 20 (5), 383-386.

Yin, R. K. (2001). Estudo de Caso: Planejamento e métodos (2ª ed.). Porto Alegre, Brasil: Bookman.

Downloads

Publicado

2021-03-27

Como Citar

Almeida, R., Gomes, C., & Elias-Almeida, A. (2021). EQUILÍBRIO FINANCEIRO: COMPARAÇÃO ENTRE QUATRO ESTABELECIMENTOS TERMAIS PORTUGUESES. Tourism and Hospitality International Journal, 17(1). Obtido de https://thijournal.isce.pt/index.php/THIJ/article/view/285